10.3.07

RØCIPES

Açorda à Alentejana
à moda de 1997 [recuerdo académico]

Em primeiro lugar, queria dizer que a açorda à Alentejana, latu sensu, é o meu prato de gastronomia regional portuguesa favorito. É o mais enigmaticamente perfeito, de tão simples e eficaz que é. E é também, possivelmente, um dos pratos da gastronomia regional portuguesa que melhor se presta a inovações nouvelle cuisine (como aliás quase toda a gastronomia Alentejana). Se existir um equivalente gastronómico para a arte povera, será este. Em segundo lugar, queria dizer que aprendi a fazer açorda à Alentejana com uma ex-companheira de casa chamada Mónica, natural de Portalegre, que me garantiu, há justamente 10 anos atrás, que estava a fazer a receita original. Esta semana tentei relembrar-me, e o resultado foi este:

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Ponho a ferver um litro e meio de água. Num almofariz, esmago seis dentes de alho com uma pitada generosa de sal grosso, um fio generoso de azeite e um molho ainda mais generoso de coentros frescos, até obter uma pasta quase homogénea. Coloco a mistura num recipiente para sopa e deito-lhe em cima a água a ferver. Tapo e reservo. Entretanto, escalfo dois ovos e corto fatias grossas de pão Alentejano. Sirvo a sopa com o ovo escalfado dentro e o pão à parte, para ir o mergulhando na sopa como bem entender ao longo da degustação. Nota importante: as quantidades de alho, coentros e azeite são bastante flexíveis e adaptáveis ao gosto de cada um. Nota final: era capaz de comer isto todos os dias.

6.3.07

TOOLS

Domesticity


Photobucket - Video and Image Hosting


"I must frankly own, that if I had known, beforehand, that this book would have cost me the labour which it has, I should never have been courageous enough to commence it. What moved me, in the first instance, to attempt a work like this, was the discomfort and suffering which I had seen brought upon men and women by household mismanagement. I have always thought that there is no more fruitful source of family discontent than a housewife’s badly-cooked dinners and untidy ways. Men are now so well served out of doors – at their clubs, well-ordered taverns, and dining-houses, that in order to compete with the attractions of these places, a mistress must be thouroughly acquainted with the theory and practice of cookery, as well as be perfectly conversant with all the other arts of making and keeping a comfortable home."


PREFÁCIO

.
.
.
VOU À TUA MESA

livro de receitas [agora em versão indie]



Proposta do observador Nelson Guerreiro, através da qual serão disponibilizadas as receitas que fizeram as delícias do 'Lado C', mas também todo o tipo de relatos e curiosidades sobre e à volta da minha cruzada nesse maravilhoso mundo da "nouvelle cuisine vegetariana do tipo rough portuguese chic" com influências e referências subtis à gastronomia minhota. Colaborações exteriores e espontâneas darão um ar da sua graça de quando em vez.

in 'Vou A Tua Casa', blog, Agosto de 2006


Photobucket - Video and Image Hosting

TEXTOS JÁ PUBLICADOS

[in blog 'Vou A Tua Casa']

oito livros adquiridos pelo chef aqui
três livros adquiridos pelo chef aqui
o melhor da gastronomia minhota aqui
o menu completo da performance 'lado c' aqui
receita de bolo grego com anis e limão aqui
receita de mousse de castanhas com laranja aqui