17.11.08

RØCIPES

Almôndegas crocantes de aveia e cenoura
em molho de tomate, manjerona e azeitonas verdes



Uma embalagem de flocos de aveia biológicos; cenouras; cebolas; alhos; 1 molho de salsa; 1 molho de coentros; hastes de cebolinho; pimenta preta em grão; pão ralado; 6 tomates grandes, muito maduros; manjerona fresca; 1 frasco de azeitonas verdes recheadas com pimento; sal; e azeite. Numa panela funda, fervo 200 gr. de flocos de aveia em água salgada durante 1 minuto. Retiro todo o excesso de líquido, com a ajuda de um passador, e coloco a aveia semi-cozida num recipiente fundo. Junto 200 gr. de cenouras finamente raladas e 1 cebola picada. Junto-lhe a salsa, os coentros e o cebolinho picados. Tempero com pimenta preta acabada de moer. Misturo muito bem todos os ingredientes, até ficar com uma massa consistente. Com as mãos sempre húmidas, vou moldando pequenas bolas, que coloco num tabuleiro de ir ao forno protegido com uma folha de papel vegetal. Levo as almôndegas ao forno pré-aquecido a 200º. Entretanto, pelo os tomates e retiro-lhes a pele e todas as grainhas. Pico-os finamente e reservo. Faço um refogado leve com cebola, alho e azeite. Junto-lhe o tomate, tempero de sal e pimenta, e deixo apurar. No final da cozedura, junto-lhe a manjerona fresca finamente picada. Retiro as almôndegas do forno quando já estiverem crocantes por fora e húmidas por dentro. Em pratos grandes, disponho uma quantidade de molho de tomate, em cima da qual coloco duas ou três almôndegas. Decoro com azeitonas verdes cortadas às rodelas e folhas de salsa.

EAT MY THEORY

miguel hat gesagt...
'o rogerio...diz-me lá porque é que os cookers optam sempre pelo mesmo aspecto gráfico dos pratos: o centro em monte e os círculos pingados de natas, choco ou whatever? arre potter qué demais...

November 07, 2008 8:05 PM

Löschen

Blogger Rogério Nuno Costa hat gesagt...
...por partes:

1. essa disposição do prato (ou "empratamento" para sermos mais exactos) não se prende especificamente com questões "gráficas", mais ou menos "estetizantes", mas sim com a organização dos diversos elementos do prato no prato, ou seja:

2. seguindo a lógica (essa sim, da "moda") de que todos os elementos do prato devem ser visíveis e reconhecíveis (mesmo quando não sabes o que é, sabes pelo menos que existem o elemento A, o B e o C, por exemplo), então é natural que eles se encontrem separados no prato, e não envolvidos, ou escondidos... assim sendo:

3. elementos mais líquidos costumam ser espalhados pelo prato (de outra forma não seriam vistos) e os mais sólidos são colocados no centro do prato (porquê? vai estudar as teorias da percepção visual...). tudo isto porque:

4. a cozinha contemporânea, seguindo de certa forma a tendência geral na arte e na ciência, alicerça-se num qualquer tipo de "performatividade gastronómica", permitindo ao espectador/degustante aceder ao prato de forma implicada e criativa, o que só é possível se te for possível reconheceres os elementos em jogo. por exemplo: aplicas nos elementos sólidos os elementos líquidos que entenderes, na quantidade que entenderes. não é só para te fazer bem à retina (e a seguir às papilas gustativas); é para te implicar politicamente, através da escolha. em resumo:

5. montinhos no centro e natas à volta é mais ético que estético. ou pelo menos é assim que eu quero ver a coisa...

November 14, 2008 6:07 PM