30.3.09

RØCIPES

Tarte de maçãs & mascarpone
em base de pão de erva doce



...estou extasiado com o resultado desta invenção, que é já a melhor de 2009 so far! O segredo disto está obviamente na massa. Lamento, mas não serei capaz de reproduzir exactamente as quantidades, porque nisto das massas e das bases eu sempre fui muito a favor do olhómetro. Seja como for, é experimentar abrir um buraquinho num monte de farinha fermentada com uma pitada de sal, colocar lá dentro um ovo e manteiga derretida em leite fervente e misturar à manápula, cagando as mãos, cagando a mesa de trabalho, cagando o chão da cozinha, cagando o avental, assim atingindo um nível incomensurável de felicidade domingueira. Juntar a seguir uma colher de sopa cheia (aqui lembro-me!) de erva doce em pó e a raspa de um limão. Envolver bem, cobrir a massa com um pano de cozinha e pô-la a descansar. Entretanto, descasco e descaroço as maçãs que a minha mãe trouxe de Amares (verdes, caseiras, minúsculas, feias com'á noite!) e corto-as em cubos. Sim, em cubos!, estou farto dessas tartelettes franciús com tudo laminado até ao desespero e a saber a açúcar baunilhado... Espremo um limão para cima das maçãs, para não oxidarem, e reservo. Noutro recipiente: bato uma embalagem inteira de mascarpone com 1 dl de natas, juntando depois 1 ovo batido e umas colheradas de icing sugar. Reservo. Dou com o rolo da massa em cima da mesma, mas sem me importar muito com a forma ou com a espessura; a ideia é que o resultado seja assim brega-rough, como podem vislumbrar na foto acima. Atiro com a coisa para dentro da tarteira, aperto-a de encontro ao fundo, e verto a mistura de mascarpone lá para dentro. Finalizo com os cubos de maçã, que atiro para cima do mascarpone "como se" tivesse sido o acaso (consultar o "Dogma 2005", se isto vos estiver a dar nervos...). Polvilho tudo com açúcar granulado e uma pitada de canela e levo imediatamente ao forno. Quando os limites da base estiverem assim gordalhufos, feios comó raio e a ameaçar entrar pelas maçãs adentro, é porque está pronto. Deixar esfriar, retirar da tarteira e comer.

E agora o nojo: ENOUGH TARTES DE MAÇÃ C/ BOLA MIXURUCA DE GELADO DE NATA AO LADO!!! Já não há pachorra para a trend presente em tudo quanto é café hipster da Baixa-Chiado que serve qualquer tipologia de bolo com gelado de nata, muito açúcar pilé a cobrir o pratinho preto do IKEA e uma folha redícula de hortelã assim de ladecos... Pá, inventem outras cenas! -.-

28.3.09

RØCIPES

Creme de feijão branco
c/ cogumelos suados, baby spinach & queijo da Ilha



Corto uma cebola média em cubos e esmago dois dentes de alho; levo-os a refogar em azeite até ficarem transparentes. Junto um frasco de feijão branco (suco incluído, com certeza...), tempero de sal e deixo cozinhar por dois minutos, mexendo. Adiciono depois duas chávenas de caldo de legumes e deixo cozer em lume brando durante 5 minutos. No entretanto, lamino uma mão cheia de cogumelos brancos frescos e levo-os a uma frigideira hiper-ultra-anti-aderente sem qualquer adição de gordura, apenas uma pitada doida de sal grosso e outra de pimenta preta acabada de moer. Vou mexendo os cogumelos delicadamente, para não pegarem, até que comecem a libertar o seu suco, ou seja, a "suar". Reservo. Reduzo o feijão a puré. Junto mais um golpe de azeite e depois duas a três mãos cheias de baby spinach. Retiro imediatamente do lume (o calor residual do creme é suficiente para cozer os espinafres). Sirvo com os cogumelos por cima e algumas lascas simpáticas de queijo da Ilha.

23.3.09

RØCIPES

Gnocchi com espargos verdes,
pesto & flocos de emmental


























Sim, isto deu uma trabalheira dos diabos, porque fiz moi-même [ando muito ricoeuriano...] os gnocchi e porque fiz moi-même [idem...] o pesto. Só não fiz moi-même o Emmental porque isso seria coisa hercúlea. A saber:


 
FASE UM
Para os gnocchi, cozo 4 batatas grandes com casca em água a "cobrir", nunca "a afogar" (dois pormenores de importância extrema...), com uma pitada generosa de sal marinho. Vinte minutos depois, retiro as batatas da água, despelo-as (do verbo "despelar") e num prato fundo esmago-as com a ajuda de um garfo. Junto depois um ovo inteiro e cerca de 200 gr. de farinha; misturo cuidadosamente, mas com velocidade, para o ovo não cozer. Polvilho a mistura com pimenta preta de moinho (q.b.). E agora vem a parte sexymotherfucker dos gnocchi: numa base de madeira, espalho um pouco de farinha e coloco a massa em cima, esmagando-a, enrolando-o, batendo-a, esmagando-a outra vez, enrolando-a outra vez, até a mesma ficar moldável e maleável. A seguir, vem a fase da contact improv dos gnocchi; ou seja, não sei explicar o que fiz nem como fiz: fui retirando pequenas porções de massa, que enrolei cilindricamente, para depois cortar pedaços mais pequenos e com eles fazer pequenas bolinhas achatadas parecidas com aquilo que eu acho que são (ou devem ser) os gnocchi. Importante mesmo é não deixar que as bolinhas se colem umas às outras, para além de ser importante trabalhá-las com a massa ainda quente. Termino e reservo.



FASE DOIS
Para o pesto, ponho dentro de um almofariz uma chávena cheia de folhas de manjericão estupidamente frescas com um dente de alho previamente picado, três colheres de sopa de azeite virgem extra e uma colher de sopa de sal grosso. Pico tudo à pancada até conseguir uma mistura homogénea. Junto de seguida 4 colheres de sopa de pinhões previamente torrados numa frigideira anti-aderente (durante muito breves minutos, caso contrário, dá asneira...) e 2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado. Volto a triturar e junto mais azeite, se for necessário, para emulsionar melhor. Guardo a mistura num frasco, aliso a superfície e cubro com uma fina camada de azeite. Fecho e ponho no frigorífico.



FASE TRÊS
Cozo os gnocchi em água abundante e sal. O tempo de cozedura é diminuto; quando os gnocchi vêm à superfície é porque já estão prontos. Retiro, escorro e coloco-os num recipiente fundo. Junto colheradas de pesto a gosto e envolvo bem. Já no prato, coloco em cima de uma porção de gnocchi algumas cabeças de espargos verdes cozidos e polvilho com lascas super-finas de Emmental. No final, golpejo o prato com umas últimas gotas de azeite e sirvo com uma salada de tomate e uma pequena graça de tzatziki. Contrariamente ao que eu fiz, tira-se uma fotografia decente antes de comer...

7.3.09

HYPES

Chef Ro, yo!
...wants to cook for you:




...but first, you have to publicly scream that you're a fan! He's an extremely ego-centred kind of Chef and he'll create some gorgeous recipe inspired in YOU only after you saying that Chef Ro, Yo! is the hottest, sexiest and beautifullest Chef in the world:

www.facebook.com/cheff.roo